Para muçulmanas na Malásia, despacito é obscena. Enquanto isso no Brasil…

A música despacito é obscena, é o que dizem algumas muçulmanas de um partido político da Malásia. Por conta das reclamações as emissoras estatais do país não tocarão a famosa musica.

Particularmente, trata-se de um tipo sonoro que eu teria dificuldades em qualificá-lo como música. Mas daí a dizer que despacito é obscena? Se formos analisar a letra da música, despacito é sim obscena!

Despacito é obscena na letra e despacito é obscena em seu vídeo clip. E qualquer pessoa com um mínimo de decência fica ruborizada conhecendo o teor da letra e pior, vendo o vídeo.

É obvio que a decisão tomada pelo governo da Malásia pode ser interpretada como censura religiosa e se tal situação tivesse ocorrido aqui no Brasil, estaríamos sob um imenso berreiro repetindo a ladainha de que o “Estado é laico”.

Leia também:

Pancadão da PUC e a cultura da bestialidade

Cultura agoniza no país da crise ética e moral

E por falar no Brasil… Se despacito na Malásia é obscena, aqui a música passa até por inocente ou até mesmo como uma ode latina de imensurável riqueza poética. Isto porque por aqui a coisa já degringolou de vez.

Vejam esse didático vídeo gravado pelo Youtuber Nando Moura.

https://www.youtube.com/watch?v=dEpvS9JoV7w

Pois é. A impressão que temos é que no Brasil a palavra obsceno consta apenas em dicionários. Pode ser que daqui a alguns dias nem mesmo nos Aurélio encontraremos a definição exata para tanta imoralidade.

Por Jakson Miranda

2 thoughts on “Para muçulmanas na Malásia, despacito é obscena. Enquanto isso no Brasil…

    1. Exatamente. Num país que esfacelou a importância da alta cultura, esse tipo de coisa se torna a “cultura nacional”, tornando intolerante quem não aceita se submeter a estas obscenidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *