31 de março de 1964 – A história bem contada

31 de março de 1964 - a história bem contada

"Impeachment de Dilma Rousseff, em São Paulo" é licenciada sob by nuclimeditorial CC BY 2.0

Analisar o 31 de março de 1964 no Brasil, requer seriedade e apreço a verdade

31 de março de 1964 é um tema presente tanto na Educação Básica quanto no Ensino superior. Todavia, nas instituições de ensino, ainda há uma predominância da narrativa da esquerda. Em outras palavras, aborda-se o tema a partir do ponto de vista dos seus críticos mais ferozes e menos isentos.

Dessa maneira, cria-se um falso consenso, ou ainda, uma compreensão errônea sobre o fato. Com efeito, alunos, independente da idade, são doutrinados.

Entretanto, aos poucos essa bolha começa a ser furada. Gradativamente se apresenta um olhar mais criterioso. Em suma, o ensino de história não deve ser um amontoado de narrativas cujo objetivo é servir de base à interesses políticos-ideológicos. Há de ter responsabilidade!

Em contraste com o viés ideológico dado à questão, repetimos, ainda muito em voga nos assentos escolares, dezenas de estudiosos analisam o 31 de março de 1964, com vistas a ofertar uma melhor compreensão sobre a questão.

De fato, o ensino não deve servir de palanque político. Sobretudo em sala de aula. Pelo contrário.

Certamente que analisar o período citado não é simples. Aliás, nenhum fato ou período histórico é simples. Afinal, existem nuances que escapam à narrativa histórica e apenas quem o viveu é capaz assimilar.

Só para ilustrar, aqueles que usam o termo golpe de 64 fingem ignorar que a intervenção militar foi um pedido da população e das redações dos grandes jornais. Conforme afirmamos no post Viva31deMarço domina as redes sociais

Tratou-se de um contexto histórico no qual o mundo estava inserido na guerra friaURSS Vs EUA.  Em virtude de haver o risco do Brasil passar a ser fortemente influenciado pela URSS, a população pediu mudanças“.

Portanto, a história sobre o 31 de março de 1964 precisa ser bem contada.

Conclusão

Nesse sentido, é oportuno e necessário que divulguemos o brilhante trabalho feito pela Brasil Paralelo. Com o propósito de ofertar uma história bem contada sobre 64, a Brasil Paralelo produziu um documentário de excelente qualidade.

Antes de mais nada, deixamos claro que o documentário não é uma “doutrinação da direita“. Ou por outra, não se tem no filme uma ode ao passado apresentado. Há apenas uma seria documentação histórica.

Em conclusão, compreender o que se passou ajuda-nos a entender, em parte, o Brasil atual. E somente de pose da boa compreensão conseguiremos evitar os equívocos, seja à esquerda, seja à direita. Em síntese, o período dos militares no comando político do Brasil já se foi. Agora, quem deve estar no comando somos nós, povo civil.

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *