A Ressurreição de Jesus e os desafios do século XXI

A Ressurreição de Jesus e os desafios do século XXI

Noel Coypel. 1628 1707. Paris. La Résurrection du Christ. A Ressurreição de Cristo. Rennes. Musée des Beaux Arts" é licenciada sob by jean louis mazieres CC BY-NC-SA 2.0

Hoje celebramos a Ressurreição de Jesus – Páscoa – apesar da alegria, também somos desafiados a meditar

A Ressurreição de Jesus, ou como queiram, a Páscoa, é uma das datas mais importantes e celebradas pelos cristãos: nascimento, morte e ressurreição. E embora nesse período conturbado de pandemia muitos procurem, nesta Páscoa, uma mensagem reconfortante, tal mensagem não será o foco do nosso texto.

Antes de prosseguirmos, faço aqui uma breve digressão. Recebemos em um dos nossos posts sobre o ator Paulo Gustavo, um comentário de um jovem inebriante pela ciência. Segundo o jovem, os ateus não têm fé em livros antigos (Bíblia). Afinal, a ciência daquela época, era muito inicial. Logo, esclareci-o de que não temos fé em livros antigos, mas, em uma PESSOA que nasceu, morreu e ressuscitou: Jesus.

Por certo que a digressão anunciada anteriormente não será um desvio demasiado longo do texto. Enfim, creio que nem poderá se chamar de digressão. Adiante.

Sem dúvida alguma que a Ressurreição de Jesus traz como principal mensagem a vitória da vida sobre a morte. Ou ainda, a morte da morte. Em suma, Cristo venceu a morte e isso nos dá a certeza de que com Ele, também a venceremos. Eis o verdadeiro significado da Páscoa cristã.

Todavia, como havíamos alertados no inicio, esse texto não será bem uma mensagem de páscoa, mas sim, um desafio de olharmos a Ressurreição de Jesus sob um outro ângulo. Isto é, a verdadeira páscoa cristã e os desafios para este século XXI.

Leia também:

5 mensagens para a Sexta-feira Santa

Filme a Paixão de Cristo: Veja 4 curiosidades

Pai de Paulo Gustavo pede orações pelo filho

Os cristãos e os desafios do século XXI 

Assim sendo, relembramos que há 4 anos escrevemos o post O coelhinho não foi crucificado nele, observamos que a Páscoa atual pode ser palatável mas não nutre nosso espírito. E embora a anedota presente no post seja divertida, reflete bem nossa sociedade atual. Ou seja, em muitos círculos, a Páscoa ganha um amontoado de significados: coelhinho, ovos, Jesus, Ressurreição.

Nesse sentido, quais os desafios dos cristãos neste século XXI? Conforme disse nosso jovem lá do segundo parágrafo, os ateus não acreditam em livros antigos. Ou, não acreditam na ciência dos antigos (verdades antigas). Mas, o que vale é a moderna ciência e a verdade dos “especialistas“. Aliás, será que somente os ateus têm essa visão? De todo modo, é provável que muito em breve, proclamar Jesus como Senhor e Salvador, será taxado de fake news.

Com o propósito de pavimentarmos a conclusão do presente texto, recorremos aos evangelhos. Assim, segundo o evangelho de S. Mateus, 28: 11- 13, encontramos o seguinte relato:

Enquanto elas iam, eis que alguns da guarda foram à cidade e anunciaram aos chefes dos sacerdotes tudo o que acontecera. Estes, depois de se reunirem com os anciãos e deliberarem com eles, deram aos soldados uma vultosa quantia em dinheiro, recomendando: Dizei que os seus discípulos vieram de noite, enquanto dormíeis, e o roubaram“.

De fato, os discípulos foram acusados de roubarem o corpo de Cristo. Imputaram aos discípulos tal mentira a fim de não admitirem a verdade. Mesmo que a realidade persista, os incrédulos usarão de todas as artimanhas para que sua incredulidade prevaleça. Também nos dias de hoje muitos se valem de artifícios semelhantes.

Ao passo que se espalhava a mentira, os discípulos de Cristo estavam com medo. Perseguidos, com medo e alvo de falsas acusações.

Conclusão

Em síntese, o que se passou com Pedro, João, Maria e muitos outros, homens e mulheres seguidores de Jesus, se passa conosco neste século XXI. Aí está nosso desafio no presente século: resistirmos à perseguições, mentiras e medos e proclamarmos a Verdade, Jesus ressuscitou!

Portanto, os desafios dos cristãos do século XXI consiste em resistir contra as mentiras das novas ideologias, os medos e anseios nascidos da modernidade e contra as perseguições dos arautos das falsas verdades.

E finalizo, “É melhor sofrer pela verdade, do que a verdade ter que sofrer por mim.” São Josémaria Escrivá

Feliz Páscoa!

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *