Andressa Urach e a igreja – Ou ainda, a religiosidade e os fariseus

Andressa Urach e a igreja

"Andressa Urach - Morri para viver" é licenciada sob por AndersonRabelo CC BY-NC-SA 2.0

Em entrevista Andressa Urach condenou os religiosos e os comparou aos fariseus 

Quem conhece a vida pregressa de Andressa Urach tomou um choque quando ela se converteu. De fato, para alguns, era um absurdo alguém como ela mudar radicalmente de vida. Ou seja, muitos dos seus supostos amigos e fãs, preferiam que a jovem continuasse levando a vida que levava.

Com efeito, Urach resolveu mudar de vida quando esteve perto da morte. Depois que fez aplicação de hidrogel no glúteo e pernas, Andressa precisou passar por 22 cirurgias para retirá-los. Enfim, a vaidade cobrou seu preço.

Depois de passar pelo que passou, Andressa Urach se tornou evangélica e entrou para a Igreja Universal do Reino de Deus. Como já afirmamos, muitos ficaram surpresos. Nesse ínterim, a modelo mudou totalmente seu visual: se antes se vestia de modo sensual, para dizermos o mínimo, agora, passou a se vestir de um modo mais modesto.

Já que era uma nova mulher, convertida, Urach não teve vergonha em testemunhar sobre seu passado. Sim, fora garota de programa. “Eu cheguei a dormir com até 7 homens em um único dia“. Não há dúvidas de que seu testemunho foi um alerta para muitas jovens.

Leia também:

Jovem ativista morre ao realizar aborto legalizado na Argentina

O fechamento das igrejas e os cristãos na desobediência civil

Cristãos perseguidos: China lidera ataques a igrejas

Os religiosos e os fariseus

Todavia, Andressa Urach saiu da Universal. Até onde sabemos, não frequenta outra igreja. De todo modo, sua saída da igreja criou nela uma certa aversão à religião, ou, em suas próprias palavras, aos religiosos.

Ademais, quando assistimos sua entrevista, algumas coisas chamam atenção: a modelo afirma que ama Cristo; fala que gostaria de ser missionária na África (não sei por que todo mundo quer ser missionário na África); estimulada pelo entrevistador, critica os religiosos, comparando-os aos fariseus; trabalha como garota propaganda do concurso miss bumbum.

Em primeiro lugar, conforme já afirmamos, o testemunho de Urach pode ajudar muitas jovens iludidas com as falsas promessas do show business (fama e dinheiro). Portanto, não é necessário ir à África para evangelizar. Não obstante, trabalhar para o concurso miss bumbum surte o efeito oposto daquilo que uma pessoa que ama Cristo deveria fazer.

Apesar de entendermos que Andressa Urach possa ter aceitado o trabalho por necessidades financeiras, não há dúvidas de que ela poderia ter buscado outras formas de ganhar a vida.

Em segundo lugar, Andressa se apega ao discurso de muitos, refratários a uma vida na igreja, de que Cristo combateu os fariseus e a religiosidade desses, logo, muitos cristãos atualmente, têm a mesma postura daqueles que Jesus criticou. De fato, em certo aspectos, a modelo está correta.

Por outro lado, lembramos que religiosidade nos remete a religião e por extensão, à igreja. Nesse sentido, da mesma forma que Jesus combateu os fariseus, demonstrou zelo pela Casa do Meu Pai. Além disso, Ele mesmo fundou SUA IGREJA.

Certamente que nos dias atuais, muitas pessoas perderam a noção de que a Igreja é uma criação de Deus. Ou seja, tomam a igreja apenas como uma instituição humana. Como resultado, fica fácil apontar a religiosidade também como algo humano e negativo.

Conclusão

É provável que tudo isso, no caso particular de Urach, seja certa mágoa com a igreja na qual ela estava vinculada. Esperemos que sim. Isto é, esperemos que a modelo siga seu caminho com Cristo e que ela encontre uma igreja séria, que lhe ensine a verdadeira religiosidade.

Em suma, quando olhamos para a vida de Santa Tereza D’ Ávila, Santa Teresa Benedita da Cruz e tantas outras, veremos que, vinculadas à Cristo e a Igreja, não repudiaram a religiosidade. Ao contrário. A Igreja e sua religiosidade foi o caminho que elas trilharam rumo à santidade.

Enfim, podemos dizer que o farisaísmo é uma das marcas dos homens vazios da Graça. Mas a religiosidade é uma das marcas dos santos. Com efeito, para as mentes cauterizadas ao Sagrada, é confortável aceitar e propagar certa confusão entre uma coisa e outra. Já que assim, ficarão livres para atacar a Igreja, em nome de Jesus.

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *