Como será o mundo depois do coronavírus?

Como será o mundo depois que passar a pandemia do coronavírus? Esta é sem dúvida alguma a pergunta mais importante que devemos fazer nesse momento. Creio eu que tal questionamento é mais importante até mesmo do que encontrar a cura para o vírus.

De certa forma, concordo com Átila Iamarino, quando este afirma que o mundo que conhecíamos antes do coronavírus não existe mais. Mas, se o biólogo falou pensando em termos de saúde, falo de um outro aspecto. De fato, o panorama geopolítico e ideológico deverá passar por uma guinada depois que o coronavírus deixar de ser uma ameaça.

Como já registramos no post anterior, o que me causa desânimo não é a ameaça do vírus. É perceber que boa parte da nossa sociedade aceita de forma acrítica e benevolente às determinações de líderes políticos que em última instância, em nome da NOSSA saúde e do NOSSO bem estar, tiram-nos o direito de ir e vir, em síntese, tiram-nos a LIBERDADE.  

Esse será o norte para o mundo pós coronavírus. No momento em que aceitamos o isolamento social imposto por nossos “representantes”, medida condicionada à pena de prisão ou constrangimento público àqueles que não obedecerem – algo muito politicamente correto – acenamos para que os governos (Estado) nos ministrem outras quarentenas. Qual será a próxima ameaça?

Trata-se de um contexto que prova uma vez mais a fragilidade de convicção de muitos indivíduos que se declaram conservadores e por consequência, a fragilidade do próprio conservadorismo atual, afinal, desconheço no pensamento conservador uma justificativa para confiarmos no Estado, seja em qual circunstância for; não obstante, as medidas impostas nos últimos dias logo são reverberadas por muitos, como vitais (vida ou morte).

Em outro espectro ponderamos que algo precisa ser feito em relação à China. Mais uma vez, inexiste em nossa imprensa debates acerca da grande responsabilidade do império comunista chinês. Sim, a China é a principal responsável por tudo isso e a reação ou não do Ocidente a esse fato, determinará o mundo depois do coronavírus.

Na hipótese de que se tenha uma reação forte e coordenada por parte dos países do Ocidente, em especial os EUA, a China será isolada e o comunismo chinês será contido (ao menos por um tempo), como resultado, teremos alguma liberdade por um pouco mais de tempo.

Caso não ocorra essa reação, o “isolamento social” será apenas a porta de entrada para um mundo que nem mesmo Orwell imaginou. Nesta hipótese, o mundo depois do coronavírus será um mundo de uma real distopia, sob o olhar do Grande Irmão chinês.

Por Jakson Miranda

1 thought on “Como será o mundo depois do coronavírus?

  1. O mais importante de tudo isso e, o aprendizado sobre o que significa saúde pública. Temos aqui no Brasil o entendimento que, a saúde é apenas quando estou bem. O nosso temor é o de passarmos por sofrimentos que, poderiam ser minimizados com o melhor respeito por gente. Gente não é dinheiro. Dinheiro é consequência de Gente com Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *