Covid-19 e a Nova Ordem Mundial

Covid-19 e a Nova Ordem Mundial

A Nova Ordem Mundial evidentemente será implementada em vários estágios diferentes, cada um com suas próprias características

Como sabemos, desde o princípio do ano o mundo está passando por uma pandemia, que paralisou a economia e a produtividade em todo o globo terrestre. Por outro lado, a grande maioria da população, em praticamente todos os países — no rescaldo da mais repulsiva e degradante alienação — acredita que a classe política, serva da Nova Ordem Mundial, existe para protegê-la e que o estado luta com veemência para atender a todas as suas necessidades e interesses, e portanto busca ativamente proteger a sociedade dos efeitos nocivos e deletérios do terrível vírus chinês. Esta, no entanto, é uma afirmação que dificilmente chegaria perto da realidade.

A verdade é muito mais sinistra do que as pessoas poderiam imaginar. O que se projeta nos bastidores do mundo político é um nefasto projeto de escravidão da humanidade, que será dominada por um único governo global, totalitário e despótico. Esse deplorável e sórdido projeto político não é recente. Ele começou a ser projetado há décadas e agora está em seus estágios finais de conclusão.

Todo este cenário de pandemia que vivemos hoje foi projetado pela Fundação Rockefeller há cerca de dez anos. Tudo foi meticulosamente planejado e registrado em um documento intitulado Cenários para o Futuro da Tecnologia e do Desenvolvimento Internacional.

Da criação do vírus à sua disseminação — bem como todas as estratégias de bloqueio e quarentena deliberadamente concebidas para arruinar a economia e causar um colapso global, que vão desde vacinas à implementação de uma criptomoeda desenvolvida pela Microsoft cuja mineração será realizada através de atividade corporal —, tudo está completamente descrito neste documento nefasto e diabólico.

Evidentemente, a grande massa alienada da humanidade irá alegar que isso é simplesmente teoria da conspiração; mas se você estiver realmente prestando atenção aos eventos e a todos os desdobramentos políticos que estão acontecendo no cenário geopolítico internacional, verá que absolutamente nada do que ocorre são simples coincidências. Todas as ocorrências que estão em andamento hoje no mundo são peças de um gigantesco quebra-cabeça, que deve ser devidamente montado para que o cenário faça sentido, de forma integral.

A atual pandemia de Covid-19 foi projetada exclusivamente com o objetivo de arruinar a economia e causar um colapso financeiro global, para preparar o terreno no qual as elites ganharão mais poder político e, consequentemente, conquistarão mais controle sobre toda a população mundial. Evidentemente, vivemos agora o período inicial desse grande colapso.

O objetivo por trás dessa recessão deliberadamente provocada é destruir completamente a vasta maioria das pequenas e médias empresas privadas que estão ativas hoje. O que permanecerá em operação são as grandes corporações e os titânicos conglomerados que são conduzidos pelas famílias que estão no comando da anunciada Nova Ordem Mundial. No “admirável mundo novo” que as elites pretendem constituir, tudo será administrado por governos, grandes corporações e conglomerados titânicos. A pandemia foi criada como um pretexto para  implementar medidas draconianas e irracionais como lockdown e quarentena, justamente para destruir todas as pequenas e médias empresas, e arruinar a economia mundial.

O que as elites desejam é estabelecer um mundo sem propriedade privada ou empresas. Toda a humanidade ficará em sujeição às elites globalistas. Para que isso aconteça, a propriedade privada deve ser abolida, pois propriedade privada é um conceito que carrega consigo elementos de resistência, autonomia, liberdade, independência e individualidade — virtudes que as elites por trás da Nova Ordem Mundial desejam erradicar completamente. Eles querem desmantelar absolutamente tudo que possa resistir ao seu modelo coletivista de governança global autoritária e tirânica.

Essa é uma das principais razões pelas quais as elites financiam tão avidamente a esquerda política e a agenda progressista; afinal — além de degradar o ser humano com a promoção de todo o tipo de subversões, buscando ativamente institucionalizá-las —, a esquerda é um movimento político coletivista que luta ativamente pela supressão do indivíduo, pela supremacia do coletivo e pelo estabelecimento de um estado onipotente.

Além do mais, rivalidades políticas dividem a sociedade em blocos antagônicos, como esquerda e direita, capitalismo e comunismo, socialismo e liberalismo; assim, as pessoas passam a brigar umas contra as outras ao invés de lutar contra as elites. É uma estratégia diversionista. A atenção das pessoas é desviada do verdadeiro problema. Isso atende aos propósitos das elites globalistas e os militantes de esquerda, de tão obtusos, nem sequer percebem como são sistematicamente manipulados como idiotas úteis pelas grandes corporações — que são os principais patrocinadores da esquerda — que eles aparentemente tanto desprezam e afirmam combater.

A Nova Ordem Mundial evidentemente será implementada em vários estágios diferentes, cada um com suas próprias características. A pandemia Covid-19 é um desses estágios. Em cada um desses estágios, entretanto, o grau de tirania imposto à população aumentará em certa medida.

As elites estão implementando a Nova Ordem Mundial em etapas gradualistas porque dessa maneira a tendência da população de se rebelar será severamente reduzida. Se todas as draconianas medidas restritivas fossem impostas simultaneamente, todas elas de uma só vez, a grande massa da humanidade se rebelaria, e o projeto de dominação global das elites ficaria muito evidente. Ao implementar medidas restritivas de forma gradual — acomodadas a um nível expressivo de doutrinação política e dogmática —, a grande maioria das pessoas irá habituar-se fácil e suavemente a este novo padrão de normalidade, o “novo normal” que as elites pretendem implementar, e elas o farão sem oferecer qualquer resistência significativa ou substancial. Apenas a pequena minoria que está desperta está disposta a oferecer resistência contra a escravidão globalista. As elites estão aplicando a notória estratégia de “cozinhar o sapo em água fervente”, por assim dizer.

No entanto, as elites calcularam todas as ações de resistência que a população pode e oferecerá em consequência das restrições cada vez mais draconianas que lhes serão impostas, com todas as variáveis possíveis sendo levadas em consideração em praticamente todos os cenários — presentes e futuros —, o que pode ser averiguado no documento da Fundação Rockefeller mencionado acima.

A partir de agora, as pessoas serão divididas entre subservientes e insurgentes. O plano é aumentar a pressão do sistema sobre os insurgentes, tornando suas vidas muito ruins, com um nível cada vez maior de restrições. No presente momento, por exemplo, o sistema pretende tornar a vacina contra o coronavírus compulsória; e tem por objetivo impor uma série de restrições a todos aqueles que se recusarem a tomar a vacina. Por outro lado, o sistema pretende recompensar todos aqueles que foram submissos — especialmente aqueles que foram submissos desde o princípio —, dando-lhes prioridade ao acesso de produtos básicos, como alimentos. Os submissos poderão levar uma vida “normal”, por assim dizer, e poderão comprar, vender, viajar e trabalhar normalmente. Essas coisas, no entanto, se tornarão um luxo inacessível aos indivíduos classificados como rebeldes e insurgentes.

Com o colapso da economia, a produção de alimentos também poderá ser drasticamente reduzida; algo que evidentemente foi deliberadamente calculado desde o início. O sistema usará isso a seu favor para controlar ainda mais a população. Aqueles que foram extremamente submissos ao sistema terão acesso prioritário a produtos de primeira necessidade, como comida. O sistema fará isso como uma pressão para que as pessoas sejam obedientes. A fome — e o medo de sofrer privações — fará com que uma expressiva parcela da população seja ostensivamente subserviente à tirânica nova ordem que está gradualmente se estabelecendo.

Aqueles que receberem a vacina contra o coronavírus se beneficiarão aparentemente com o sistema. A vacina se tornará obrigatória, mas muitas pessoas resistirão. Para resolver isso, o sistema pretende jogar os subservientes contra os insurgentes, para que os primeiros pressionem os demais, para que estes também se tornem complacentes e obedientes.

O sistema constantemente afirmará que todos os problemas existentes são causados por quem não quer se sujeitar às regras recém-estabelecidas — ou seja, tudo será culpa dos insurgentes —, e enquanto eles não cederem e não se submeterem completamente ao novo sistema, um retorno à “normalidade” será impossível. O sistema fará isso propositalmente, para jogar a porção subserviente da população contra todos aqueles que recusam-se a serem subjugados.

Também é importante enfatizar que a atual pandemia começou na China por um motivo. Quem quiser ver como será o mundo no futuro próximo, só precisa analisar o que acontece hoje na China, que serve de laboratório experimental para o que as elites pretendem estender no mundo inteiro. O que as elites globalistas tirânicas desejam principalmente é um mundo sem religião — e hoje todas as religiões estão sendo literalmente erradicadas na China, com um nível de tortura excruciante e massacres brutais sendo infligidos a todas as pessoas religiosas, não importa se são cristãosmuçulmanosbudistas ou Falun Gong, todos têm o mesmo destino: prisão, morte, doutrinação sistemática em campos de internamento ou renúncia de suas crenças religiosas sob tortura. Todas as pessoas são forçadas a se sujeitar a aterradora tirania de uma autocracia cruel, despótica, opressiva e intolerante, que possui um sistema de crédito social que controla cada singular cidadão do país através de um sistema digital, que permite ao estado totalitário monitorar a lealdade de cada indivíduo ao regime.

Infelizmente, a grande maioria dos ocidentais — em sua incomensurável ignorância sobre o assunto — não tem ideia do que está acontecendo na China hoje. Em sua brutal ingenuidade, alienação e ignorância, ocidentais enxergam a China como um belo e promissor país em desenvolvimento, que nos levará a um futuro mais brilhante, onde tudo é mágico, colorido e gracioso, e pôneis resplandecentes e radiantes correm ao redor de um maravilhoso e fabuloso arco-íris que faz todas as pessoas se sentirem felizes e puras. Por mais estúpido que pareça, em sua excruciante ingenuidade, é mais ou menos assim que os ocidentais veem a China.

Evidentemente, o que não falta hoje são manadas de idiotas úteis para dizer que tudo relacionado à ideia de um governo global tirânico e totalitário é apenas teoria da conspiração. Esses são os mesmos idiotas adestrados que se curvam diante dos seus políticos de estimação e fazem tudo o que os ditadores do estado mandam, sem jamais contestar ou questionar.

Esses são os indivíduos mais estúpidos e repulsivos que existem sobre a face da Terra — estadólatras servis e irracionais —, que não passam de maléficos adoradores do estado, crianças inúteis e mimadas que têm um pavor histérico de tudo e precisam de um político para lhes dizer constantemente o que pensar, o que fazer, como agir e como viver. A doutrinação e a lavagem cerebral que o sistema executou nessas pessoas foi tão intensa e radical que destruiu completamente a capacidade que elas possuíam de pensar e raciocinar por elas mesmas. Em decorrência disso, elas se contentam em obedecer de forma cega e servil aos seus políticos de estimação, com um nível de subserviência terrivelmente irracional, sem jamais se atrever a contestar ou questionar as suas ordens. Pior ainda, de forma agressiva e beligerante, elas se prestam a exigir o mesmo nível de obediência e servidão das pessoas que pensam e raciocinam por si próprias.

Infelizmente, a maior parte das pessoas foi vítima de doutrinação sistemática e — com algumas raras exceções — a vasta maioria delas está muito além de qualquer possibilidade de recuperação. Portanto, não devemos nem mesmo nos preocupar com o que essas pessoas pensam, fazem ou dizem. Na verdade, não devemos nem mesmo desejar amizade ou qualquer tipo de relacionamento com essas pessoas. Quem se entrega ao papel degradante de ser um capacho do sistema merece o trágico destino que terá.

Infelizmente, a Nova Ordem Mundial é uma realidade que está se revelando bem diante dos nossos olhos; os imbecis, os fúteis e os alienados — em sua apatia, torpor e letargia permanentes — não possuem nem sequer a mais vaga noção do que está acontecendo. É verdade que não podemos esperar inteligência, julgamento, capacidades racionais e habilidades intelectuais de todos. Vamos, portanto, nos preocupar em auxiliar aqueles que estão devidamente despertos.

A resistência ao sistema e ao novo normal é uma possibilidade, ainda que isso sem dúvida irá acarretar grandes dificuldades em um futuro próximo. O primeiro passo é resistir à vacinação compulsória. Posteriormente, precisamos ficar atentos a cada diretriz que o estado controlado pelos globalistas tenta implementar de forma discricionária e draconiana como lei. Agora, mais do que nunca, é hora de observar cada movimento das elites, tentando antecipar qual será o seu próximo passo.

Enfim, o que acontece no presente momento é um conflito não-declarado e silencioso, uma guerra entre os cidadãos comuns e as elites globalistas que compõem a Nova Ordem Mundial. Precisamos reagir agora, ou acabaremos sendo completamente dominados.

Por Wagner Hertzog

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *