Cristãos perseguidos: China lidera ataques a igrejas

Cristãos perseguidos: China lidera ataques à igrejas

Imagem é licenciada sob by Philipe Li CC BY-NC-ND 2.0

Em 2020, número de cristãos perseguidos cresce 30% – China lidera ranking

O número de cristãos perseguidos sempre foi uma realidade na história do cristianismo. Afinal, para os incrédulos, Jesus e seus seguidores é uma ameaça. Assim, “cesares“, “neros“, “stalins“, “maos“, etc, etc, sempre perseguiram a Igreja. Do mesmo modo que ocorreu em outros tempos, a Igreja continua sendo perseguida.

Assim, de acordo com dados da organização Portas Abertas, o número de cristãos perseguidos no mundo cresceu 30% em 2020. A organização Portas Abertas monitora os índices de violência contra cristãos desde 1955.

Nesse sentido, em 2020, mais de 340 milhões de religiosos foram perseguidos, contra 260 milhões de casos reportados em 2019. De maneira idêntica, o número de mortos subiu 60%, saltando de 2.983 em 2019 para 4.761 em 2020.

Em resumo, são números alarmantes!

Ainda segundo a organização, o aumento da opressão e violência aumentou em algumas áreas específicas, como o continente africano. Ademais, chama atenção países como China e Índia, pois, o uso de tecnologias de sistemas de vigilância para monitorar cristãos fez com que aumentasse o número de ameaças.

Leia também:

A Ressurreição de Jesus e os desafios do século XXI

Prefeito de BH acata ordem de Nunes Marques

Toque de recolher é suspenso em Minas Gerais

Aliás, a China lidera no número de igrejas e espaços religiosos atacados, à frente da Nigéria.

Isso porque, no regime chinês, apenas algumas religiões têm permissão para se reunir e expressar livremente suas crenças. Na China, cinco religiões são permitidas: o budismo chinês, taoísmo, islamismo, catolicismo e o protestantismo. Estrangeiros encontram mais opressão na hora de seguir suas crenças.

Conclusão

Todavia, apesar do aumento da violência na China, o país aparece em 17º lugar na lista dos que apresentam maiores índices a cristãos perseguidos segundo a organização Portas Abertas.

Já que a Coreia do Norte lidera a lista. Logo após, vem o Afeganistão, Somália, Líbia e Paquistão, cuja religião oficial é o islamismo.

Apesar de no Brasil não haver uma perseguição expressa contra os cristãos, é fato que ela existe. Mas, não vamos alargar a questão. Não obstante, chamamos atenção para a questão do fechamento dos templos. Em suma, não há dúvida de que se trata de ojeriza à prática religiosa disfarçada de combate a pandemia.

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *