Deputados “bolsonaristas” protocolam representação contra Moraes

ministra do STF Cármen Lúcia, se posiciona contra a censura

Os deputados “bolsonaristas” Carla Zambelli (PSL-SP), Aline Sleutjes (PSL-PR), Bia Kicis (PSL-DF), Carlos Jordy (PSL-RJ), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Filipe Barros (PSL-PR) e Junio Amaral (PSL-MG), protocolaram ontem (29), uma representação criminal no Ministério Público Federal contra Alexandre de Moraes. A ação desses parlamentares é uma reação contra as medidas tomadas por Alexandre de Moraes no inquérito 4.781.

Como já demonstramos em nosso post Senado Federal precisa barrar Alexandre de Moraes o inquérito 4.781 é flagrantemente ilegal.

Possíveis consequências da representação feita pelos deputados “bolsonaristas” 

Já que dificilmente o senado federal discutirá o impeachment do ministro Alexandre de Moraes, que seria a atitude mais adequada nesta situação, a iniciativa dos deputados “bolsonaristas” é mais do que acertada. E isso porque, diante de algo ilegal, o Ministério Público Federal precisa ser provocado para que possa tomar as providências cabíveis.

No caso envolvendo o ministro Alexandre de Moraes, uma das consequências da representação protocolada, é o MPF instaurar um procedimento extrajudicial específico ou interpor medidas judiciais. Não acredito que a coisa seja arquivada.

Mesmo que nada aconteça com a representação, sabemos como o Brasil é, tanto os deputados “bolsonaristas” ou não, quanto nós, cidadãos, anônimos e sem cargos eletivos, devemos continuar confrontando e denunciando os constantes atos de desrespeito a Constituição praticados por autoridades que se julgam acima das leis.

Por Jakson Miranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *