Amigos, esse talvez seja o texto, dentre os que já publicamos,  que mais tenha citações. Porém, elas são de extrema importância para desmascararmos mais um mito, um engodo, ou, mais um político profissional. Espero que gostem.

Vamos ao texto

Nem os petistas, nem a oposição negam que a eleição presidencial em 2014 foi não só a mais acirrada, mas também a mais imprevisível e a que mais rendeu discussões dentre os especialistas e leigos.

Se em 2012 o governo acreditava que o pleito em 2014 seria apenas um passeio, a partir de 2013 as coisas começaram a ficar nebulosas. A onda de protestos que a principio era vista com bons olhos por setores do governo federal, logo, virou-se contra ele, contra o governo de Dilma Rousseff.

Com os governantes enfraquecidos – Governo Federal e governadores estaduais – quem na oposição ganhou destaque? Aécio Neves? Eduardo Campos? FHC? José Serra? Bolsonaro? Eduardo Cunha? Não, nenhum desses. Na ocasião daqueles protestos, no tempo dos Black blocs, quando nenhum político “prestava”, Reinaldo Azevedo fez a seguinte observação:

“Essa agenda hostil a partidos e a políticos se encaixa como luva em seu discurso. Afinal, há muita gente bobinha que acredita que Marina é, sei lá, um ET, um ser virtual, uma entidade da floresta… Não! Ela é uma politica, que tem a pretensão de governar o Brasil”.

No post em que faz essa colocação, Azevedo faz menção à entrevista que Marina Silva concedeu á Folha. No jornal lia-se o seguinte:

Enquanto conversava com a Folha por telefone, na quinta-feira passada, a ex-ministra Marina Silva acompanhou, pela TV, as imagens da manifestação que transcorria em Brasília naquela noite. “Meu Deus, a polícia está batendo nas pessoas. Deve estar cheio de gente que eu conheço”, afirmou.

Ela disse que se colocava no lugar das mães “desses meninos”. Jovens que, segundo ela, colocaram em prática um “ativismo autoral” sobre o qual vem falando “há mais de três anos”, e que é uma das bandeiras da Rede Sustentabilidade, partido que tenta criar para voltar a disputar a Presidência em 2014.

Pois bem, de candidata a vice pelo PSB, a trágica morte de Eduardo Campos alçou-a a candidata favorita a ir para o segundo turno. Dado seu crescimento nas pesquisas e conseqüente favoritismo, a dúvida era quem disputaria com Marina Silva, Aécio Neves ou Dilma? O favoritismo de Marina era claramente um rescaldo das manifestações de 2013. Com o andar da campanha eleitoral, as coisas foram postas no seu devido lugar. À época escrevi no meu antigo blog um post questionando a posição privilegiada de Marina. Escrevi na ocasião:

“Ela pode ser muito conhecida entre os “intelectuais” e “deslocados”, mas, em todos os estratos da sociedade?  Qual foi seu grande trabalho que a tornou nacionalmente conhecida entre as pessoas comuns, grosso do eleitorado? Sua atuação politica justifica os 33% das intensões de votos, segundo o Data Folha”? 

Marina Silva murchou, melhor, voltou ao seu tamanho real. Por pouco, Aécio Neves, desacreditado por alguns, não ganha o pleito.

Mas, o que foram aqueles protestos que em certa medida favoreceram Marina Silva? Bruno Garschagen, em entrevista nas páginas amarelas da recente edição da Revista Veja diz o seguinte:

“Há dois anos, a agenda era por mais governo. As demonstrações começaram com grupos pedindo uma redução no preço da passagem de ônibus. Outra turma, minoritária, queria que tudo fosse gratuito, como se ninguém tivesse que pagar pelos custos do transporte”.

Marina Silva estava sendo bem vista por grupos violentos e que em última instância, queriam MAIS ESTADO.

Agora, os tempos são outros. Desde do ano passado, que ocorrem manifestações. Em tudo diferente daquelas de 2013. Enquanto aquelas eram marcadas pela violência dos Black blocs, essas são pacificas. Enquanto aquela turma queria mais Estado, esta, pede menos… Menos Estado, menos corrupção. Mais ética na política, respeito às leis e em conseqüência disso, a punição de políticos irresponsáveis e envolvidos em casos de corrupção. Impeachment de Dilma Rousseff, investigação e por que não, indiciamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Quando o assunto é corrupção, nenhum outro partido e governo estão mais sujos do que o PT e o governo atual. Diante disso tudo, o que diz Marina Silva? Apóia as manifestações que pedem o impeachment? Está mobilizando sua turma para ir à Paulista? Tudo indica que não. Ao contrário. Recentemente deu a seguinte declaração:

“Aqui no Brasil está todo mundo muito feliz de dizer que a culpada pela corrupção é a Dilma. Enquanto a culpada pela corrupção for a Dilma, o Lula, o Sarney, o Collor ou Dom Pedro II, vai ter corrupção feia. Quando a corrupção virar um problema nosso, acabaremos com a corrupção ou criaremos instituições para coibi-la (…) Não é sustentável acharmos que a corrupção é o problema de uma pessoa, de um grupo ou de um partido”

Em qual floresta Marina Silva se encontra? Aliás, alguém se lembrava dela?

É por ser um problema nosso que estamos indo as ruas pedir a punição de corruptos e corruptores. Lembre-se, Marina Silva, que instituição para coibir a corrupção já existe: Policia Federal, Ministério Público e TCU estão entre essas instituições e estão fazendo o trabalho que lhes cabe. O TCU tem todos os elementos para rejeitar as contas de Dilma. A Policia Federal está cada vez mais próxima a figurões do PT e o Ministério Público colhendo provas para futuramente indiciar quem tem culpa no cartório.

A corrupção é um problema para Marina Silva? Ao isentar-se em dá apoio as manifestações que irão ocorrer no dia 16 de agosto, tudo indica que não.

Marina Silva não está preocupada se o Estado brasileiro foi e está sendo assaltado por uma horda de aproveitadores. Sua preocupação, tudo leva crer, é com seus antigos companheiros ideológicos. Marina Silva saiu do PT, mas o PT não saiu de Marina Silva. O que Marina dirá nas próximas eleições?

Até que ela venha a público esclarecer de qual lado está, se está com o governo ou com a oposição, o mundo sonhático desta senhora é o oposto do mundo real que defendemos. A ex-petista Marina Silva é um mito, um engodo ou só mais uma politica profissional?

 

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

Por que sou conservador?

O Impeachment e a Bíblia

Governo Dilma: Pode Piorar

DILMA MANDA TICO E TECO PARA COLETIVA: O RESULTADO FOI RISÍVEL

O oportuno antipetismo de Marta Suplicy

1 thought on “E a Marina Silva?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *