Ao passo em que o discurso mequetrefe da esquerda vai se derretendo dia após dia, seus “intelectuais” tentam ao menos segurar o pêndulo ideológico no centro, e uma política de centro, em bom português, nada mais é do que a esquerda continuar no poder, político e cultural. Para isso, qualquer inclinação à direita, vem sendo seguida dos termos intolerantes e radicais.

Olavo de Carvalho? Intolerante! Radical!

Jair Messias Bolsonaro? Radical! Intolerante! Homofóbico! Defensor da ditadura!

Enquanto o pêndulo político ideológico apontar na direção da direita, seus representantes serão diuturnamente atacados com cada vez mais veemência. Tais ataques já começaram e justamente por aqueles que se apresentam como antipetistas e, por tabela, se deixam confundir por antiesquerdistas. Para esses, a verdadeira e saudável polarização no espectro  político é a representada por PSDB x PT. Fora disso é radicalismo e intolerância.

Ontem, o jornal Folha de São Paulo noticiou que o filho de Jair Bolsonaro, o deputado estadual Flávio Bolsonaro, reagiu a tiros a uma tentativa de assalto. Leiam:

Ao parar em um sinal de trânsito, o deputado e seu motorista perceberam que o veículo diante do seu estava sendo assaltado.

O parlamentar e seu motorista iniciaram uma série de disparos contra os dois assaltantes que estavam em uma moto. Os criminosos trocaram tiros com o parlamentar, que teve o carro atingido seis vezes.

Os dois homens fugiram. Bolsonaro registrou o caso na 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca). Policiais da região da Barra da Tijuca realizaram buscas pelas ruas do bairro na tentativa de localizar os assaltantes.

Voltamos

Pelo visto, esta é a marca intolerante da família Bolsonaro. Assim como qualquer outro brasileiro que trabalha e estuda. Trabalha e paga impostos, NÃO TOLERA aqueles que optam pelo mundo do crime.

Fico a imaginar o quanto que alguns “intelectuais” não condenaram a atitude do deputado. E se os meliantes tivessem sido alvejados? A conseqüência seria essa: Para a sociedade, Bolsonaro estaria sendo aplaudido. Para a turma que condena a intolerância e defendem “us oprimidos” – inclusive certa imprensa, Bolsonaro teria dado a prova cabal que não passa de um famigerado radical da direita.

Reagir contra assaltantes, eis o radicalismo e intolerância da família Bolsonaro.

 

Por Jakson Miranda

 

5 thoughts on “Família Bolsonaro, os intolerantes

  1. Perfeito o seu texto, pois condiz com a realidade dos fatos, quem defende o bem é mal visto pela classe caviar da esquerdopatia.

  2. Hoje pelo menos vemos que o povo já entende o que essa corja de malignos da esquerda vinham tentando fazer com o nosso Brasil. Uma coisa que até agora não vi ninguém levantar a “lebre” trata-se do fato de distribuição de drogas de forma coordenada entre o anos de 2006 a 2010 em todas as cidades do interior do Centro Oeste, Norte e Nordeste. Seria isso uma coincidência ou está aí mais um dos tentáculos maligno da esquerda que está unida com As FARC. Dou graças a Deus de encontrar a Direita – ainda que pequena e tímida – viva para reverter essa situação. SOMOS TODOS BOLSONARO! BRASIL ACIMA DE TUDO; DEUS ACIMA DE TODOS!

    1. Graças a Deus a direita brasileira está crescendo, agregando mais e mais cidadãos de bem cansados da torpeza esquerdista. Se Deus quiser, venceremos. Nossa bandeira jamais será vermelha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *