Flávio Bolsonaro e Abin: Ramagem indica tramoia

Flávio Bolsonaro e Abin: Ramagem indica tramoia

"11/07/2019 Solenidade de Posse do Diretor-Geral da ABIN, Alexandre Ramagem" by Palácio do Planalto is licensed under CC BY 2.0

Apuração confirma que ABIN não é autora de relatórios para auxiliar defesa de Flávio Bolsonaro, diz Ramagem

Muito se falou a respeito de um suposto relatório que a ABIN teria feito para a defesa do senador Flávio Bolsonaro. De fato, à época, a grande imprensa “caiu em cima“, acusando o presidente de interferir na Agência.

Assim, era um assunto grave. Ou seja, a ser verdade o que diziam as matérias, o presidente Bolsonaro estaria usando um órgão de Estado para fins pessoais, no caso, a defesa do filho.

Todavia, mesmo com um teor tão grave, a grande mídia optou por esquecer o caso. Ademais, o referido relatório nunca veio a público. Embora, o que se acusava, poderia provocar a saída do Diretor-Geral da Abin, provável perca de mandato do senador Flávio Bolsonaro e uma crise sem precedentes para o governo Bolsonaro. Enfim, não se explica tal esquecimento da imprensa.

Não obstante, em vídeo gravado no Youtube, Alexandre Ramagem, explicou o desenrolar do suposto relatório em defesa de Flávio Bolsonaro.

Leia também:

Vice-presidente Mourão reuniu-se com PCdoB

Cristãos perseguidos: China lidera ataques a igrejas

Nesse sentido, de acordo com Ramagem, foi realizada sindicância interna e apontou-se não ter,

“…Qualquer ligação com supostos relatórios, criados para auxiliar a defesa de Senador da República, conforme erroneamente noticiado por veículos de imprensa“.

Do mesmo modo,

A íntegra dos documentos, divulgadas apenas após determinação da Procuradoria-Geral da República (PGR), evidencia a total impossibilidade do conteúdo ter sido elaborado pela ABIN ou por seu Diretor-Geral“.

E ainda,

Trechos dos documentos haviam sido intencionalmente extirpados nas reportagens, justamente por demonstrarem sua total falta de conexão com a narrativa criada. Membros da carreira de Inteligência, da Controladoria-Geral da União (CGU) e da Advocacia-Geral da União (AGU) participaram da apuração“.

Conclusão

Por fim, o chefe da Abin deixou claro que a Agência, não tratou nem tramitou sobre o tema. Da mesma forma, não houve encontros ou qualquer contato “com as pessoas que levaram esse tema“.

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *