Gilmar Mendes emite nota – Bolsonaro continua sendo genocida

Gilmar Mendes, ministro do STF, divulga nota na manhã desta terça-feira e declara respeito às Forças Armadas brasileiras

Gilmar Mendes, ministro do STF, divulga nota na manhã desta terça-feira e declara respeito às Forças Armadas brasileiras

Diante da repercussão negativa em relação às suas declarações e principalmente, diante da reação do Ministério da Defesa, o ministro Gilmar Mendes resolveu emitir uma nota “reafirmando” seu respeito às Forças Armadas brasileiras.

Estranho seria se o togado emitisse nota afirmando o contrário. Ainda assim, trata-se de uma nota meramente protocolar, pois, de nada adianta publicar a tal nota se na mesma não consta um pedido de desculpas. No lugar disto, encontramos algo como “uma interpretação do momento atual“.

“Vivemos um ponto de inflexão na nossa história  republicana em que, além do espírito de solidariedade, devemos nos cercar de um juízo crítico sobre o papel atribuído às instituições de Estado no enfrentamento da maior crise sanitária e social do nosso tempo.

Em manifestação recente, destaquei que as Forças Armadas estão, ainda que involuntariamente, sendo chamadas a cumprir missão avessa ao seu importante papel enquanto instituição permanente de Estado”. Disse o ministro.

É constrangedor um ministro da mais alta corte jurídica de um país opinar sobre ações do Executivo, mas, tudo bem, se tolera isso. Agora, um ministro do Supremo insinuar que o presidente da República é um genocida? É algo inadmissível! E foi isso que fez o senhor Gilmar Mendes.

Assim, a nota de Gilmar Mendes não passa de uma arrogante maneira de reafirmar o que ele disse, ou seja, o presidente da República, Jair Bolsonaro, continua sendo um genocida. Assim, continuamos na espera e esperança de que a AGU tome as providências.

Por fim, esperemos que o Ministério da Defesa avance e acione a PGR, como declarou publicamente, em nota, que o faria.

Por Jakson Miranda

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *