Lava Jato no Rio implica filho do presidente do STJ

Lava Jato no Rio implica filho do presidente do STJ

Eduardo Martins, filho do presidente do STJ, Humberto Martins, foi contratado para cuidar de interesses da quadrilha instalada na Fecomércio do Rio e teria movimentado R$ 83 mi, diz Lava-Jato

A força tarefa da Lava Jato no Rio, em operação realizada hoje (9), afirma que Eduardo Martins, filho do presidente do STJ, Humberto Martins, foi contratado pela quadrilha para, “influir em atos praticados por ministros do Superior Tribunal de Justiça”.

Entre fevereiro e maio de 2014, de forma livre e consciente, CRISTIANO ZANIN, com a ajuda também livre e consciente de FERNANDO HARGREAVES e aquiescência de EDUARDO MARTINS, solicitou e obteve de ORLANDO DINIZ a contratação de EDUARDO MARTINS, pela quantia de R$ 5.500.000,00, a pretexto de influir em atos praticados por ministros do Superior Tribunal de Justiça. (Exploração de prestígio, art. 357, caput, do Código Penal – Conjunto de fatos 23)”.

A Lava-Jato segue na denúncia sobre o filho do presidente do STJ: “Em 16.5.2014, de forma livre e consciente, EDUARDO MARTINS obteve para si e para EURICO TELES, com a ajuda também livre e consciente de ORLANDO DINIZ, CRISTIANO ZANIN e ANA BASÍLIO, vantagem ilícita, em prejuízo da Fecomércio/RJ, consistente no pagamento de R$ 2.000.000,00, divididos na proporção de R$ 1.381.000,00 (um milhão, trezentos e oitenta e um mil reais) para EDUARDO e R$ 619.000,00 (seiscentos e dezenove mil reais) para EURICO, a ele repassados em 21.5.2014 e 15.12.2014, mediante formalização de um contrato de honorários advocatícios firmado com essa Federação, idealizado para conferir aparência de legalidade à exploração de prestígio antes narrada, instrumento este ideologicamente falso porque, desde o início, os serviços nele descritos sabidamente não seriam prestados”.

Com informações do Radar

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *