Leopoldo López: “Vamos encerrar a greve, mas a luta continua.”

O venezuelano Leopoldo López, líder da oposição e por isso preso pelo regime autoritário de Nicolás Maduro, havia trinta dias estava em greve de fome. Nesta terça, López anuncia o fim da greve.

Leopoldo López chegou ao limite que um homem pode ficar sem alimentação, seu ato, estava sendo seguido por outros opositores. Mesmo no limite, López só interrompeu a greve porque o governo da Venezuela anunciou eleições legislativas para dezembro.

O opositor ao regime de Nicolás Maduro exige ainda que as eleições naquele sejam acompanhadas de perto órgãos internacionais. É o correto.

Enquanto o mundo encarar com pouco interesse o que está acontecendo na Venezuela, o continente americano estará caminhando para ter dois países governados por ditadores, algo que certamente, será mais uma mancha de vergonha para a História do Brasil.

Como o governo de um país democrático como o Brasil mantêm relações com um governo tão antidemocrático como o governo de Maduro?

A insensibilidade de Dilma Rousseff, antes preferindo alinhar-se com Maduro e negando com isso um simples ato de solidariedade para com os presos políticos contrários ao regime, joga na lata do lixo sua história de presa política. Cada lágrima ou lamento que esta senhora venha a ter em relação ao período em que esteve presa e torturada, deverá ser encarado como hipocrisia e cinismo.

Tal insensibilidade só nos oferece mais uma evidência óbvia: Dilma não lutava por democracia e as idéias que ela defendia e defende, é igualmente capaz de prender pessoas pelo simples ato de fazer oposição.

Leopoldo López lutou contra uma máquina monstruosa, é claro que sua vitória não foi somente sua. Do Brasil, não teve o apoio do governo, mas, teve o apoio de centenas de brasileiros que não toleram, não apóiam e não se calarão diante de qualquer tipo de opressão política.

Seu gesto pode representar o inicio do fim do chavismo.

 

Por Jakson Miranda

 

Leia Também:

Para choro e desespero da esquerda: Documentário sobre Olavo de Carvalho

1Q84 e nossa ditadura de realidade

Não fale com estranhos

EUA querem acabar com a corrupção no futebol: Tremei, petralhas!

Estado Islâmico: Uma tragédia anunciada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *