Maju Coutinho fala que o choro é livre e expõe caráter

Ao defender lockdown Maju Coutinho afirma que o choro é livre

Ao defender lockdown Maju Coutinho afirma que o choro é livre

A apresentadora do Jornal Hoje, Maju Coutinho, em seu afã para defender o lockdown afirma que o choro é livre e externa toda sua empatia pelo povo.

Enquanto milhões de pessoas perderam seus empregos; e outras tantas estão impossibilitadas de trabalhar por conta das medidas restritivas impostas por governadores e prefeito, a global resolveu “lacrar”.

Decerto que o termo “o choro é livre” é uma mensagem simples e compreendida por todos. Trata-se, e não há espaço para dúvidas, de puro deboche.

De fato, para Coutinho e sua turminha de globais, as pessoas saem as ruas por cisma e teimosia.

Por outro lado, inexiste por parte da apresentadora do jornal hoje, criticas contundentes aos “astros” e “estrelas” flagrados em viagens paradisíacas. Tal ausência de critica a esses, denota acima de tudo, uma arrogância sem limites.

É especialmente relevante destacarmos que não é apenas uma arrogância global como disse Eduardo Bolsonaro. Ou ainda, hipocrisia, como pode afirmar outro.

Nesse sentido, ficamos com a certeza de que a apresentadora desconhece a realidade do país. Fato. Logo, é uma inapta para exercer a profissão de jornalismo.

Também não nos resta mais dúvida de que a pretensa jornalista usa a bancada do jornal hoje para fazer militância política. Sim, é disso que se trata. Ou seja, ao usar a expressão “o choro é livreMaju Coutinho traz intrínseco no deboche a ideia de que tudo não passa de uma polarização: globo Vs Bolsonaro.

Mas, acima de tudo, há algo que se sobressai ao que afirmamos nos dois parágrafos anteriores. O caráter de Maju Coutinho. Estou dizendo que Coutinho é uma pessoa ruim? Não necessariamente. Todavia, podemos definir como caráter um feitio moral.

Finalizo

Assim, ao soltar sua “pérola“, Maju olhou apenas para seu próprio umbigo: contas pagas, salário alto e em dia. Ou seja, lhe falta empatia e sobra-lhe traços de egocentrismo, em outras palavras, uma pessoa cujo caráter lhe autoriza a demonstrar em rede nacional, desprezo e falta de amor ao próximo.

No exato instante em que a apresentadora externava aquilo que pra ela sintetiza toda questão “o choro é livre“, não tenham dúvidas de que em centenas de casas, não havia o que ser oferecido no almoço.

Diante do exposto, não podemos concluir sem expressar nosso conceito sobre a emissora que chancela falas como as ditas no jornal hoje: globolixo!

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *