Ministro do STF visita comandante do Exército

Gilmar Mendes, ministro do STF, realizou na última semana, uma visita ao comandante do Exército, general Edson Leal Pujol. 

Gilmar Mendes, ministro do STF, realizou na última semana, uma visita ao comandante do Exército, general Edson Leal Pujol. Obviamente que a referida visita de Gilmar Mendes, em um momento tenso entre Executivo e Judiciário, tinha um objetivo.

Segundo consta, o ministro do STF procurou Pujol para evitar que “percepções difundidas pelo presidente Jair Bolsonaro sobre a atuação das instituições nesta pandemia viessem a ser assimiladas pelo Exército“. Ou seja, Gilmar Mendes quer que o comandante do Exército veja o chefe do Executivo como um mentiroso?

Ainda de acordo com o Valor Econômico, o ministro da Defesa, isso mesmo (!) o ministro da Defesa, está desgastado, tanto junto as Forças Armadas quanto junto ao Supremo.

Mais recentemente, as notas de Azevedo sobre a atuação do Supremo no inquérito que investiga as acusações do ex-ministro Sérgio Moro e sobre a interpretação do artigo 142 da Constituição, que define o papel das Forças Armadas na lei e na ordem internas, também foram vistas com reservas“.

Logo, de acordo com o que está sendo noticiado, as Forças Armadas que tiveram Aldo Rebelo e Raul Jungmann como ministro da Defesa, estão vendo com reserva um ministro saído das próprias Forças Armadas.

Gilmar Mendes, ministro do STF, faz jogo político 

Ademais, consta na reportagem as seguintes observações.

“Gilmar também procurou desfazer, junto ao comandante, a percepção, muito popular no entorno bolsonarista, de que haveria uma “conspiração”, arquitetada pelo também ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maria (DEM-RJ), para derrubar o presidente do cargo”.

“Pujol foi lembrado pelo ministro de decisão recente de Moraes, flexibilizando a Lei de Responsabilidade Fiscal durante a pandemia, como demonstração de que não há uma predisposição de limitar os poderes do presidente. Moraes passou a ser alvo dos generais da reserva que servem no Palácio do Planalto depois que impediu a posse do diretor-geral da agência Brasileira de Informações (Abin), Alexandre Ramagen, na direção-geral da Polícia Federal”.

Ante um comandante que se mostrou ciente de todos os temas mas não proferiu juízo de valor sobre quaisquer deles, o ministro reiterou não haver, entre seus pares, ou na cúpula do Congresso Nacional, o propósito de interromper o mandato do presidente da República“.

E por fim, mas não menos importante.

“Além de Gilmar Mendes, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, também tem conversado com altos oficiais da ativa. O diálogo tem sido fomentado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, para quem a distância entre as instituições e os comandantes das Forças, só faz crescer fantasmas como o de estaria em curso um golpe militar”.

Ou seja, as Forças Armadas estão sendo alvos de influências políticas contrárias ao governo Bolsonaro, no entanto, diante das câmeras, espertamente afirmam que o presidente da República é quem quer usar as Forças Armadas.

Fiquemos com esse barulho!

Por Jakson Miranda

3 thoughts on “Ministro do STF visita comandante do Exército

  1. O canalha do Gilmar já foi envenenar o comandante do exército, porque teme ser derrubado do cargo ! Sujeito desonesto, perigoso, tanto quanto os 10 do STF ! Foi tentar mais uma vez desqualificar o presidente ! Será que o comandante vai dar crédito a quem não tem nenhuma credibilidade ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *