Ministro Pazuello na mira do Centrão

Deputados do Centrão querem a saída do ministro Pazuello

A imagem é licenciada sob Palácio do Planalto CC BY 2.0

Deputados do Centrão querem a saída do ministro Pazuello

No final da tarde de ontem (14), circulou a informação de que o ministro da Saúde Eduardo Pazuello, havia entregado o cargo, alegando problemas de saúde.

No entanto, o próprio ministro tratou de desmentir a informação. Todavia, a pressão pela sua saída existe!

E assim como a maioria dos governadores fazem oposição às medidas tomadas pelo governo federal no combate a covid-19, deputados federais também aumentaram o coro.

Não obstante, independente de quem for o ministro da Saúde as criticas continuarão, a não ser que o ocupante do cargo seja alguém que tenha afinidade com os grupos de governadores e deputados.

Nesse sentido, ficou claro o posicionamento do deputado Arthur Lira que pelo twitter, manifestou predileção pela  médica cardiologista Ludhmilla Hajjar.

Nesse contexto, a grande mídia informa que o presidente Bolsonaro está inclinado a trocar de ministro. Mas caso o faça, tudo indica que não será Ludhmila.

Desde que a pandemia chegou ao Brasil, Pazuello é o terceiro ministro a ocupar o cargo. Logo, uma nova troca nesse momento pode transmitir uma mensagem negativa a população. Independente dos motivos que levaram seus antecessores a deixarem a pasta.

É especialmente relevante observarmos que os argumentos daqueles que pedem a cabeça de Eduardo Pazuello seja a ameaça de uma CPI da Pandemia, caso o ministro seja mantido no cargo. Porém, pela lógica, quem tem mais a perder com uma CPI da Pandemia são governadores e seus secretários e não o governo federal.

De fato, fez-se o envio de bilhões a estados e municípios. Montaram hospitais de campanha e desmontaram em tempo recorde. Apesar disso, a única solução encontrada é a imposição de mais restrições.

Finalizo

A “fritura” do atual ministro da Saúde nada tem a ver com as decisões da pasta no combate à pandemia. Nesse sentido, não podemos perder de vista que o orçamento do Ministério da Saúde apenas para este ano de 2021 é de R$ 136,76 bilhões. Eis o que move 99% dos políticos de Brasília.

Em conclusão, nem os governadores nem os deputados de Centrão estão preocupados com a saúde. O que querem mesmo é faturar alto nesse contexto de pandemia.

Como resultado, dane-se a saúde. Tiremos o ministro!

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *