E as olimpíadas no Rio vai deixar o seu legado. A saber: O tão famoso e famigerado “jeitinho” brasileiro graça em toda e qualquer situação do cotidiano.

É um comportamento estranho para quem não é daqui e vergonhoso para quem é daqui e tem um mínimo de bom senso.

A situação passa de vergonhosa a vexatória, quando o tal “jeitinho” é empreendido abertamente pelas autoridades públicas.

Quando isso acontece, fica evidente o amadorismo dos gestores públicos. Incompetência, irresponsabilidade e claro, falta de respeito para com os cidadãos, são as palavras certas que devem ser aplicadas nesses casos.

E não é isso que está acontecendo com algumas obras para as olimpíadas no Rio?

Para a “prefeita” da cidade olímpica, Janeth, é “natural que obras precisem de ajustes mesmo após a entrega”. Que vergonha alheia!

Já o prefeito, Eduardo Paes, resolveu fazer “gracinha” com as criticas feitas pela delegação australiana.

Após o comitê australiano se recusar a entrar na Vila Olímpica, devido aos problemas de vazamento, banheiros inacabados, escadas sem luz e pisos sujos, entre outros, Eduardo Paes fez o seguinte comentário:

“A gente está aqui para receber bem os visitantes. Ajustes que tiverem de ser feitos vão ser feitos, e a gente vai ter toda a estrutura adequada. Como anfitriões, o que a gente quer é que todos se sintam em casa. O Brasil tem essa coisa de receber bem e de acolher, mas é uma mudança de muita gente ao mesmo tempo. É natural que você tenha algum tipo de ajuste a fazer, mas vamos fazer os australianos se sentirem em casa aqui. Estou quase botando um canguru na frente para pular na frente deles”.

Piada? Gracinha? Não! A declaração do prefeito fluminense só pode ser expressa em uma palavra: rudeness, ou, traduzindo para o bom português: Grosseria!

Há ainda outra explicação: Paes banca o palhaço para tentar esconder o vexame.

Em ambos os casos, fica evidente que não é o comportamento esperado de uma autoridade pública. Eleito para representar toda a cidade do Rio de Janeiro.

Ou seja, a fala de Paes não é a de um prefeito, mas a de um idiota que pensa que todos os outros também o são.

A situação ficou ainda mais humilhante para o “experto” prefeito diante da resposta dos australianos. Chamando o prefeito à responsabilidade, o diretor do comitê olímpico australiano Mike Tancred, lembrou que não precisa de cangurus, mas de encanadores.

Essa é a Olimpíada no Rio: Do “jeitinho” brasileiro à grosseria.

É vergonhoso!

Por Jakson Miranda

Adquira o ebook Por que sou conservador e ajude o Voltemos à Direita.

Assine nossa NEWSLETTER e receba artigos em primeira mão. É fácil, rápido e seguro!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *