Quem será o novo ministro da Educação?

Quem será o novo ministro da Educação?

Quem será o novo ministro da Educação? Esta é a pergunta que começou a ser feita desde que foi anunciada a saída de Abraham Weintraub. Consequentemente, muitos nomes serão especulados até o martelo ser batido. Mas, acima de tudo, o novo ministro da Educação precisa ter “culhões” para enfrentar tanto a esquerda, da mídia e no Congresso, quanto Rodrigo Maia.

Dito isto, outro nome que surge na lista de candidatos a ocupar a pasta, está o secretário de Educação do Paraná.

Um dos nomes que está no radar do presidente Jair Bolsonaro para assumir o MEC (Ministério da Educação) é do secretário da Educação do Paraná, Renato Feder. A decisão, no entanto, ainda não está perto de ser tomada, já que há outros nomes em análise. 

O presidente estuda ainda manter o secretário-executivo Antonio Paulo Vogel como interino por um tempo mais longo, a exemplo do que está fazendo no Ministério da Saúde, com o general Pazuello.

Não foram descartados ainda para a pasta os nomes do atual secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim e de Ilona Becskeházy, atual secretária de Educação Básica do MEC. 

Feder foi nomeado para a pasta do Paraná pelo governador Ratinho Júnior, do PSD, partido que está na base de apoio de Bolsonaro no Congresso com a recente aproximação com o Centrão. 

Provavelmente, muitos estão torcendo pela efetivação de Carlos Nadalim. Pois, não há dúvidas de que Nadalim está alinhado ao governo e não cederá um milimetro às teses freirianas.

Todavia, não creio que seja o melhor momento para o atual secretário de alfabetização. Ou seja, estar à frente da pasta possa interromper seu importante trabalho de fomento à alfabetização.

Ainda assim, independente do nome escolhido, “técnico” ou “ideológico“, o novo ministro da Educação de Bolsonaro enfrentará a fúria dos contra.

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *