Rodrigo Maia vai sair do comando e será esquecido

Rodrigo Maia vai sair da presidência da Câmara e seu destino será o esquecimento

By Agência Brasília CC BY 2.0

Rodrigo Maia não será mais presidente da Câmara. Em outras palavras, Rodrigo Maia vai sair e seu destino será o esquecimento

Rodrigo Maia, que se considera um político relevante, vai sair da presidência da Câmara, sem no entanto, deixar um legado relevante e positivo para o Brasil.

Rodrigo Maia é um dos caciques do Democratas, partido que ele integra desde 2001, quando o DEM ainda se chamava PFL. Por outro lado, isso não significa que Maia tenha alguma relevância política no cenário nacional.

De fato, Rodrigo Maia perdeu a oportunidade, talvez a única, de se tornar um grande nome na política brasileira. Todavia, pautas importantes, como a Reforma Tributária, Administrativa e Política foram solenemente ignoradas.

Sem contar, obviamente, as inúmeras MPs que Maia por birra, irresponsabilidade ou baixeza, simplesmente deixou caducar. Isso, sem sombra de dúvidas, será o legado de Rodrigo Maia na presidência da Câmara.

Assim, amanhã, 01/02, será escolhido um novo presidente da Câmara dos Deputados. Há quem diga que Arthur Lyra será o escolhido. Outros apostam em Baleia Rossi. Independente do escolhido, um resultado é inexorável: Rodrigo Maia vai sair do comando da casa pequeno, ouso dizer que sai menor do que quando entrou.

Nesse sentido, vale lembrar que Maia está em sua sexta legislatura. Rodrigo Maia foi eleito deputado federal pela primeira vez em 1998, com 96 385 votos. Em 2002, foi reeleito para seu segundo mandato, com 117 229 votos. Entre a primeira e a segunda eleição, observamos um crescimento no número de eleitores que escolheram Rodrigo Maia. Seu crescimento foi ainda mais notório nas eleições de 2006, quando obteve 198 770 votos nominais.

Todavia, o “jogo” começou a virar em 2010, quando Maia obteve apenas 86 162 votos. E finalmente, em 2018, Rodrigo Maia, já como presidente da Câmara, conquistou sua sexta legislatura, porém, sendo eleito com somente 74.232.

Conclusão

Em síntese, a capacidade de Rodrigo Maia em angariar votos junto aos seus eleitores diz muito sobre sua atuação política.

Em resumo, Rodrigo Maia vai sair da presidência da Câmara e seu destino será o esquecimento. Daqui a alguns meses, ninguém saberá quem foi o presidente da Câmara dos Deputados de 2016 pra cá. Assim como ninguém sabe quem foi Arlindo Chinaglia, Marco Maia ou Henrique Eduardo Alves. Estes, do mesmo modo que Rodrigo Maia, presidiram a Câmara.

Caíram no esquecimento porque nada de relevante prestaram ao país. O mesmo servirá para Maia.

Por Jakson Miranda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *