Um obstetra revolucionário no debate sobre ideologia de gênero

Pois é, pois é, pois é… O Guga Noblat é um verdadeiro garoto prodígio. Além de dar opiniões políticas, o filhinho do notório Ricardo Noblat também entende como ninguém sobre o processo gestacional. É um obstetra exemplar!

Em uma discussão sobre ideologia de gênero, no programa Morning show, da Jovem Pan, Noblat saiu-se com esta:

Que fique em destaque o que disse esse farol da medicina moderna.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto e close-up

Faremos agora um pequeno vislumbre fictício da situação. Claro, por se tratar de uma ficção, não há nenhuma relação com as opiniões do renomado jornalista Guga Noblat.

Vamos lá.

Imaginemos um casal, ansiosos por saber se o seu bebe será menino ou menina.

Entram no consultório do ginecologista/obstetra Dr. Noblaut.

Com semblante sério, Dr. Noblaut começa a fazer a ultrassom. A mãe da criança está nitidamente nervosa. O pai, de uma ansiedade indisfarçável.

Com um ar de satisfação, nosso doutor finaliza o ultrassom.

“Prontinho mamãe”! “Podem agendar retorno para o próximo mês”.

“Então, doutor, é menino ou menina”? Perguntam os pais, quase ao mesmo tempo.

“Ainda não dá pra saber”. Sentencia Dr. Noblaut.

“Mas doutor, já estou no sexto mês de gravidez”.

“Queríamos decorar o quarto do nosso bebê”.

Com um sorriso nos lábios, para não expressar seus reais sentimentos, Dr. Noblaut pensou: “Se for menina, irão pintar o quarto de rosa. Se for menino, pintará de azul”. “Que povo retrógrado”!

Leia também:

 

Lésbicas machistas empoderadas

 

Para ator Paulo Gustavo, Cristo está morto

Finalmente falou:

“Veja bem, papai e mamãe”. “Não conseguimos saber o sexo do seu bebê porque a genitália ainda não está formada”.

“Isso acontecerá apenas no décimo mês de gestação”.

“A medicina avançou”! Continuou de forma calma e professoral.

“Hoje sabemos que a criança pode nascer com a genitália de um sexo, mas com o cérebro formado no sexo oposto”.

“Tudo bem, doutor”. “Mas a gestação só vai até o nono mês”! Protestam os pais.

“Não, não”!

“Vocês estão equivocados”!

“Andaram ouvindo a ministra Damares Alves”?

“Leram alguma coisa do astrólogo Olavo de Carvalho”? Exasperou-se o doutor.

Meus estudos não se limitam apenas a essa sociedade. Fiz diversas especialidades e sei do que estou falando“.

“Vejo que vocês foram enganados”.

“A cultura ocidental, machista, patriarcal, conservadora, cristã, homofóbica, transfóbica e reacionária foi quem determinou esse período de nove meses de gestação”.

“Esqueçam isso”!

Sem dizer palavra, o marido e sua esposa saíram do consultório médico. Desapontados e espantados. 

Passado o susto, resolveram recorrer aos métodos tradicionais, sempre recomendados pelas avós. E não se arrependeram. Também não voltaram mais ao consultório do Dr. Noblaut. Até quiseram voltar, meses depois do parto. Mas, o valor da consulta estava infinitamente fora dos padrões da família.

É que o Dr. Noblaut se tornara um famoso obstetra e estava revolucionando o conceito, segundo seus novos clientes, que em sua esmagadora maioria, eram atrizes, ex-bbbs, cantoras famosas e toda essa gente bacana do show-business.

De tão famoso, Dr. Noblaut está sempre presente em um programa matinal de televisão, sempre pronto a derrubar velhos dogmas da sociedade. Qual mesmo o nome do programa? Enlacras? Acho que é isso…

Por Jakson Miranda

Siga o Voltemos à Direita nas redes sociais e assine a newsletter para receber todos os nossos artigos.

 

2 thoughts on “Um obstetra revolucionário no debate sobre ideologia de gênero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *